sábado, 14 de setembro de 2013

Destrambelhados, articulações intermediárias

O poema se constrói com signos-de, que representam, delicadamente, um passeio sobre o próprio fazer poético, que é voo estético, voo lúdico, voo imagético, voo sinestésico, e que contém informações cognitivas trazidas pela ação diacústica. De sua leitura e interpretação emerge a articulação entre o sentir e o pensar, inerente ao fazer artístico, já preconizada desde a Antiguidade, pelo pensamento aristotélico.




Texto:  Beatriz Amaral
Poesia: Claudio Castoridis
Imagem: Fonte web

ShareThis

Licença Creative Commons
Claudio Castoriadis- O conteúdo deste site está licenciado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3,0 ..