sexta-feira, 12 de julho de 2013

Teologia da libertação. Andei pensando... Jesus Cristo, um exemplo de revolução com humildade.




Todo texto é visto e lido de várias maneiras, cada pessoa passa ideias para outras pessoas com suas particularidades. A forma como vejo a figura do Jesus Cristo quando esteve em nosso meio, segundo consta nas escrituras, foi um exemplo de como lidar com o próximo e nossos desejos. Agiu em conformidade com importantes princípios dos direitos humanos, uma política equilibrada. Se o mundo de hoje anda fora dos trilhos: protestos anticapitalistas, divisões de classes, guerras, movimentos ecológicos, militantes pacifistas, fundamentalismo, redes de terroristas, certamente o estopim para essa química se encontra no desejo de poder. Na mesma esteira temos o egoísmo e a autoridade que  levam à negação da liberdade do outro. Vejamos a seguinte passagem da bíblia que reforça esse argumento:

Novamente o transportou o diabo a um monte muito alto; e mostrou-lhe todos os reinos do mundo, e a glória deles. E disse-lhe: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares. Então disse-lhe Jesus: Vai-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele servirás. Então o diabo o deixou. (Evangelho de Mateus 4.08-11) 

Pois bem, não é de hoje que o poder, a posse e o controle são desejados pelo ser humano desde sua existência. E, segundo o sentido dessa passagem aquilo que o Jesus Cristo rejeitou, nós aceitamos. Usando essa lógica, faz séculos que aceitamos a oferta dEle, Satanás ( Diabo). É bom ressaltar que em hebraico antigo a palavra diabo vem de diabolos, diabulum, que significa aquele que divide, que separa, que causa discórdia, que separa uma comunidade. 

Mas, voltando ao sentido dessa reflexão, consideremos que aquilo que Cristo recusou com bravura, o homem de hoje mergulhou sem remoço. Muitos estão ganhando o “mundo” e perdendo suas “almas”.  Isto é o que diz essa citação.

Qual a lição que podemos apreender nessa passagem? Ora, o poder é algo cobiçado, intrínseco a natureza humana - alvo de tentação. O Cristo foi tentado a se prostrar,  se curvar perante o desejo diante de Satanás para obter a glória dos reinos deste mundo, porém, recusou tal proposta. Agora uma pergunta: se Cristo se negou a usufruir da glória e do poder, seus seguidores não deveriam seguir seu exemplo? Jesus Cristo, um exemplo de revolução com humildade. 


Por Claudio Castoriadis

ShareThis

Licença Creative Commons
Claudio Castoriadis- O conteúdo deste site está licenciado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3,0 ..