sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

o poema sem alma


uma liga de alcalina oscila revestida com alumínio cinético
com suor eletrostático        carvalho anodizado
e criolita fundida

refugia-se 
no
desvão da calha
na veste entalhada
ela, noctívaga emudece coibições
de granito amargo sobre o fio sibilante

&

lá embaixo
numa contração seccionado

claustros de barbantes, solventes
calcários encharcados, organismos maleados 



por claudio castorisdis
imagem fonte web

ShareThis

Licença Creative Commons
Claudio Castoriadis- O conteúdo deste site está licenciado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3,0 ..