domingo, 13 de julho de 2014

poema de lareira


minha vida entrosa detalhes
tira de letra 
do pássaro para a árvore
lembranças esmaecidas
em câmera lenta.


quando plantei minha casinha
de um copo d'água alcancei
uma prece haste florida
fui barro e aquarela
pintura rupestre
areia debruçada
no chão aquietado
sândalo porejando abobrinhas.


na ruazinha trançada pela sombra das paineiras
mostrei meus sonhos mais singelos para vizinhança.



Por Claudio Castoriadis
Imagem Fonte web

ShareThis

Licença Creative Commons
Claudio Castoriadis- O conteúdo deste site está licenciado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3,0 ..