terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Dentro de uma caixinha


É triste viver e ver o fim começando
De vez em quando, em poucos mundos
Projeto, contemplo uma pouquinho
Vacilando e oscilando, acreditando
Que o ontem desata no hoje
Que o futuro de longe é perto

Deixo a sorte me acertar
Um pensamento repousar
Na palma da minha mão
Ciciando uma oração
Canção que ressoa
A fala interior de dentro
No centro,
Nadando nos córregos
Do chão que chove 
Não molha, nem respinga
Um pingo, um ponto no acento
Onde senta seu perfume


E quando a tristeza chega
De mansinho
 Manhosa feito borboletinha
Minha poesia concreta
Se faz líquida nos meus olhos
Apertados, dentro de uma caixinha
Onde guardo brinquedos,
Ruguinhas, meus pecados
Com lencinho de neon.


Por Claudio Castoriadis
Imagem: eu mesmo
Sobre o Autor:
Claudio Castoriaids Claudio Castoriadis é Professor e blogueiro. Formado em Filosofia pela UERN. Criador do [ Blog Claudio Castoriadis ] Tem se destacado como crítico literário.Seu interesse é passar o máximo de conhecimento acerca da cultura >

ShareThis

Licença Creative Commons
Claudio Castoriadis- O conteúdo deste site está licenciado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3,0 ..