quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Extremamente complexo e "simples" : (Freud e Emmanuel Levinas)

"Mente" para quem tem "cabeça", proposições intrigantes, controversas ou conversas jogadas fora (Não tão longe). Complicado? Sei, ainda tem gente acreditando que todas as grandes coisas são simples. Como algo é simples quando se mostra grande? Freud, diga-se de passagem, foi extremamente complexo e criterioso quando pensou o comportamento humano. Segundo o viés do seu raciocínio, nós somos muito mais complicados do que gostaríamos de ser e que esta complicação tem a ver com o seguinte fato: nós não somos transparentes nem para nós mesmos.
Complicando um pouco, de maneira simples, lembrei também Emmanuel Levinas (Um bom filósofo) que explorou uma “ética pura”. Significado do sujeito conclamado a existir pelo ato de assumir a responsabilidade pela complexidade e inflexível alteridade do mundo. Ser um sujeito humano é estar sempre às voltas com as mudanças, cujos desígnios tentamos desvendar sem jamais ter a certeza de compreender de tão complexas. Dúvidas que se encontram nas imagens, desejos e culpas inconscientes que dirigem boa parte de nossa vida consciente sem que nos demos conta disso. Extremamente complexo e "simples" né verdade?


Por Claudio Castoriadis
Imagem: fonte web

ShareThis

Licença Creative Commons
Claudio Castoriadis- O conteúdo deste site está licenciado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3,0 ..