sábado, 27 de julho de 2013

Por trás da casa




Aquilo que foi ontem

Desmente o agora

O instante



Chamava-se eu,



Mas agora está mudado

Magro, consumido

Pela fome



Tuas cinzas

De longe lembram

As mesmas



Por trás da casa

ruas desagradáveis



Onde despertas?

Sombras, pálidos raios?



E o velho se calou
 Embotou seu silêncio

Levando consigo

O peso do corpo

Como deleite

Da alma



Por Claudio Castoriadis

ShareThis

Licença Creative Commons
Claudio Castoriadis- O conteúdo deste site está licenciado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3,0 ..