sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Julian Assange: a Internet como nova estratégia totalitária.



Cypherpunks – liberdade e o futuro da internet é o primeiro livro de Julian Assange, editor chefe e visionário por trás do Wikileaks, a ser publicado no Brasil com o selo da Boitempo. O livro é resultado de reflexões de Assange com um grupo de pensadores rebeldes e ativistas que atuam nas linhas de frente da batalha em defesa do ciberespaço (Jacob Appelbaum, Andy Müller-Maguhn e Jérémie Zimmermann). A edição brasileira terá a colaboração do filósofo esloveno Slavoj Žižek e tradução de Cristina Yamagami.

Nele são discutidas questões nocivas da hegemonia do domínio tecnocrático: a possível transformação da Internet em mero instrumento de controle massivo, a serviço do poder político e econômico.

Sei que parece estrambólico esse tipo de alerta. Mas, merece um pouco da nossa atenção por se tratar de uma problemática, cara, a nossa liberdade.  Como é possível a Internet, um espaço que ostenta a ideia de democracia digital, para muitos, nossa maior ferramenta de emancipação, passar a fazer parte de um novo poder totalitário? Uma dialética autodestrutiva. Sistema descarado facilitador de um totalitarismo jamais visto antes.

Assange prevê uma futura onda de repressão na esfera on-line que pode transformar a internet em uma ameaça aos direitos fundamentais da pessoa.

O cerco a ativistas da Internet, as tentativas de introduzir uma legislação contra o compartilhamento de arquivos, como o Sopa e o Acta apenas fortalecem suas teses.

Seguindo ao pé da letra a expressão “chutando o pau da barraca” Julian Assange promove um intrigante debate sobre a comunicação eletrônica, liberdade, democracia e alienação. Acredito que muitos julguem suas ideias como absolutamente estapafúrdias, assim como imagino os argumentos em favor da teoria escrita nas entrelinhas do livro Cypherpunks: liberdade e o futuro da internet. Segue abaixo um video do disurso de Julian proferido quando o governo do Equador anunciou que lhe daria asilo político .




Asilo e refúgio político: o caso Julian Assange


Desde 2010, o australiano Julian Assange, um dos criadores e editores do site WikiLeaks (que publica documentos confidenciais de órgãos públicos e privados), enfrenta problemas judiciais e políticos, após ter divulgado milhares de documentos sigilosos do governo dos EUA.

Assange era domiciliado na Suécia (onde está, ou supõe-se estar, situada a sede física do WikiLeaks) e tinha a cidadania sueca. Entretanto, após ter sido acusado (e condenado) pela prática de crimes de abuso sexual e estupro, perdeu sua cidadania sueca e passou a residir em Londres.

Nos Estados Unidos também há processo em andamento e ordem de prisão contra Assange, pela referida divulgação de documentos militares sigilosos no WikiLeaks.

Após o pedido de extradição feito pela Suécia à Inglaterra, Assange foi inicialmente detido, passou para a prisão domiciliar e, em maio de 2012, a Supreme Court do Reino Unido decidiu definitivamente o pedido, negando o recurso de Assange e determinando sua extradição para a Suécia. A principal discussão envolveu a legalidade (ou não) da ordem de prisão emitida por um promotor (o que é permitido na legislação sueca), considerando que na Inglaterra (e no Brasil, com a exceção dos casos de flagrante e de prisão militar – art. 5º, LXI, da Constituição) apenas autoridade judiciária tem competência para determiná-la.

Diante disso, no dia 19 de junho de 2012, Julian Assange abrigou-se na Embaixada do Equador, em Londres, e requereu a concessão de asilo político.

No dia 16 de agosto de 2012, o Equador concedeu asilo diplomático a Julian Assange, mantendo-o em sua Embaixada.

Em contrapartida, o governo da Inglaterra ameaça desrespeitar esse ato, por meio de rompimento das relações diplomáticas do Equador e o consequente ingresso na Embaixada equatoriana, ou pela ausência de permissão de saída para que Assange deixe o prédio oficial do Equador e transite pelo território inglês.


"Hoje, o Google sabe mais sobre você que sua mãe. Esse é o maior roubo da história"
 

Julian Paul Assange




Fonte



  

  
Por Claudio Cstoriadis
Sobre o Autor:
Claudio Castoriaids Claudio Castoriadis é Professor e blogueiro. Formado em Filosofia pela UERN. Criador do [ Blog Claudio Castoriadis ] Tem se destacado como crítico literário.Seu interesse é passar o máximo de conhecimento acerca da cultura >

ShareThis

Licença Creative Commons
Claudio Castoriadis- O conteúdo deste site está licenciado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3,0 ..