sexta-feira, 15 de março de 2013

Pastor Marco Feliciano e Bolsonaro: o lado mais ressentindo e doente em nosso País.


Ainda não entendo como um País, feito o nosso, tem moral em questionar os países vizinhos. Um sistema político, que se diz "democrático" deveria olhar para seus dispêndios e aberrações que destilam ódio e abuso de poder parlamentar. Sim, estou me referindo ao "Deputado" Bolsonaro. Independente de uma postura política, esquerda, direita, em cima do lado, é preciso haver um consenso de degradação moral. Será possível que ninguém estranhou a medonha fixação com o tema da homossexualidade pela parte do Deputado? E mais, ninguém na grande mídia, conservadora, não tem vergonha de misturar religião e política? Não obstante, agora temos o Pastor Marco Feliciano que trouxe à tona o lado mais ressentindo e doente em nosso País. É revoltante ver um "servo do senhor" recebendo apoio de um defensor da Ditadura que justifica a tortura: "O cara tem que ser arrebentado para abrir a boca". Denegrindo a imagem, que já não é tão boa, do Brasil. 

Quando nossa democracia vai despertar do sono dogmático?

O que Bolsonaro faz constantemente é estuprar o real sentido democrático. É uma evidente quebra de decoro, passível até da perda do mandato. Onde se encontra? quando começou a falta autoridade moral a quem caberia puni-lo.

Parabéns Pastor Marco Feliciano por conquistar um honrado cargo, presidir uma Comissão de Direitos Humanos, e ser amparado por um deputado que tenta lançar o Brasil no abismo da ignorância.


Pra terminar faço das palavras do jornalista Bob Fernandes as minhas lamentações: "Um dos defeitos do coletivo brasileiro é, muitas vezes, demorar para reagir às agressões à sociedade".

- Nós não devíamos só torturar. Devíamos torturar e matar. (Deputado Bolsonaro)



Por Claudio Castoriadis




Fonte




ShareThis

Licença Creative Commons
Claudio Castoriadis- O conteúdo deste site está licenciado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3,0 ..