domingo, 18 de dezembro de 2011

Sorriam ouvindo Nat king cole


Às vezes entre meus devaneios nostálgicos fico me perguntando quem não gosta de um bom de Jazz? Sim, uma boa música elegante. Um estilo tão revigorante tão dinâmico e instigante. Sim, muita gente deve gostar de Jazz. Posso até deduzir que mesmo os que não gostam admitem que a vida seria mais pobre se não existisse esse gênero musical. Afinal, Temos que admitir que tal estilo musical é uma ponte vital para outros gêneros, tais como o Blues, ou o Rock, por exemplo. Dito de outra forma, um bom Jazz interessa direta ou indiretamente a todos os amantes da música e da arte de um modo geral. 

Surgido nos Estados Unidos, o jazz fez com que a voz do negro norte-americano ganhasse o mundo onde o improviso é uma característica muito presente em sua essência- uma provocação para os teóricos musicais da época. E convenhamos, nesse sentido o jazz soube provocar com extrema audácia. Tendo em mente a abrangência do gênero, que tal nos detemos nesta simpática figura querida pelos vários apreciadores da música, exatamente, com vocês: Nat king cole. 

Não é preciso escavacar a bibliografia do genial Nat king cole para ter acesso a uma de suas obras mais belas a canção “Smile”. Originalmente cantada por Nat King Cole, tendo alcançado seu extasse em 1954. vale lembrar que a cantora Sunny Gale também regravou a canção, partilhando vendas com Cole. Foi também regravado pela filha de Cole, Natalie, que não fez feio em seu álbum de 1991.
 
Sorria, embora seu coração esteja doendo Sorria, mesmo que ele esteja partido Quando há nuvens no céu, você sobreviverá... Se você apenas sorri com seu medo e tristeza Sorria e talvezamanhã você verá o sol vir brilhando para você” tem como não se emocionar com uma letra dessas?  exuberante, uma poesia! Pois bem, mediante essa obra de arte o grande artista Nat King Cole dispensa comentários. Nathaniel Adams Coles, com todo seu esplendor foi certamente um dos melhores cantores e músico de jazz norte-americano- O apelido de "King Cole" veio de uma popular cantiga de roda inglesa conhecida como Old King Cole. Agraciado por uma voz marcante imortalizou várias canções, como: Mona Lisa, Stardust, Unforgettable, Nature Boy, Christmas Song, "Quizás, Quizás, Quizás", entre outras, algumas das quais nas línguas espanhola e portuguesa. Suas músicas geralmente românticas tinham um toque especial junto a sua voz associada ao piano, tornando-o assim um artista de grande sucesso. Por isso não demorou muito para que sua estruturada formação piano, guitarra e baixo ao tempo das big bands torna-se popular para trios de jazz. Outra virtude desse mestre da arte foi sua postura contra o racismo. Cole sempre lutou Cole sempre lutou contra o racismo, jamais cantando em plateias com segregação racial. Parecia tudo perfeito, tudo no seu lugar, mas como nem tudo na vida é um mar de flores infelizmente para tristeza de seus fãs Cole matinha um frenético hábito de fumar diariamente três maços de cigarro, fatalmente o cantor morreu vítima de câncer. Um de seus últimos trabalhos foi no filme Cat Ballou, onde canta a balada da personagem título, interpretada por outra grande figura Jane Fonda. Chorar? lamentar? Jamais, afinal um poeta não morre, ele adormece; por isso fica o recado para os amantes do Jazz: Sorriam com o Nat king cole.


Por Claudio Castoriadis 




ShareThis

Licença Creative Commons
Claudio Castoriadis- O conteúdo deste site está licenciado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3,0 ..