quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Mario Lago - 1911-2002



 Arrebatar os sentimentos mais ternos da essência humana não ficou pra qualquer um. Nesse sentido foi com maestria que o grandioso Mario Lago cativou plateias do país inteiro.  Um dos maiores nomes da cultura brasileira e um dos personagens mais queridos da televisão, o ator poeta, mago das palavras e dono de versos e composições ontológicas Mario Lago construiu sua sólida carreira artística em vários campos da arte.  Quem não lembra do refrão “aí, que saudades de Amélia”? Música de sua autoria que estourou no ano de 1933. Pois é, como se não bastasse seu enorme talento os trabalhos do poeta foi imortalizado na voz de alguns dos maiores artistas brasileiros da época desde Carmem Miranda ao tão popular Roberto Carlos. Gravou a primeira música em parceria com Custódio Mesquita, em 1935.  Investindo na carreira de ator obteve seu merecido êxito. Começou com a Companhia Joracy Camargo indo logo em seguida para São Paulo atuar com Oduvaldo Viana. O resultado dessa mágica aventura? Chegou a ser um dos mais famosos galãs do teatro de comédia brasileiro nos anos 1940. A essas atividades incorporou as de radialista e ativista político. Trabalhou no rádio-teatro com Dias Gomes, que já despontava como autor de peças teatrais. Por sua atuação política de esquerda, os dois eram perseguidos pela força política. Depois da temporada paulista, Mário Lago voltou para o Rio de Janeiro. Foi trabalhar na Rádio Nacional, líder de audiência na década de 1940. A chamada "época de ouro" do rádio brasileiro. Na disputa pelos ouvintes, novos programas eram trabalhados, e foi assim com o radioteatro e a radionovela, lançada pela Nacional em 1942. Ali Mário trabalhou de forma frenética, escrevendo, dirigindo e atuando com extrema competência até 1948, quando foi repetir seu padrão de múltiplos talentos na Rádio Mayrink Veiga. Mário foi contratado e atuou por mais de 30 anos na Globo - em mais de 30 telenovelas -, e recebeu várias vezes o prêmio de Melhor Ator. Também foi ator de cinema, em mais de 20 filmes. Representou no teatro até o fim da sua longa vida - subiu pela última vez no palco em janeiro de 2002. Morreu no dia 30 de maio de 2002, aos noventa anos de idade, em sua casa, na Zona Sul do Rio de Janeiro, de enfisema pulmonar. "Fiz um acordo com o tempo. Nem ele me persegue, nem eu fujo dele". Assim falou o Mario.


Por Claudio Castoriadis
Sobre o Autor:
Claudio Castoriaids Claudio Castoriadis é Professor e blogueiro. Formado em Filosofia pela UERN. Criador do [ Blog Claudio Castoriadis ] Tem se destacado como crítico literário.Seu interesse é passar o máximo de conhecimento acerca da cultura >

ShareThis

Licença Creative Commons
Claudio Castoriadis- O conteúdo deste site está licenciado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3,0 ..